Pipoco

Hora dessas

Não tem mais hora dessas

Minha costela não vai ter mais pra onde se expandir

E as coisas aqui dentro não vão ter pra onde ir

Plec seguido de Plec

Botões estourando um a um

Que fim

Que sina

Anúncios

Escada assombrada

Carrego o espírito de mil escadas

Pelas quais eu talvez nunca passe

Ou me atrase, como tenho feito

A cabeça não acompanha o coração

Um passo pra frente e dois pra trás

Se ao menos eu dançasse…

As coisas que usamos para ver

Você não quer saber o que há na janela verde?

Por que eu me pego que nem louca

A poucos passos da campainha

Mas toda vez que toco

Já não lembro mais o que me levou até ali

É que da porta não dá para ver a janela verde

Mas é só passar por ela de novo

Que fico me perguntando

Se você não quer descobrir o que tem lá

A companhia mais antiga

Hoje me sinto como aquele poeta

Que virou nome de escola sem biblioteca

Uma palavra quase que me derruba

Mas tem uns papeizinhos engraçados no chão

Que insistem em rodopiar

Parece que caminham

E aquela poeirinha no ar

Vamos fingir que é pólen

Você sabe bem como funciona

Quando um devagarinho

Vai se transformando nele mesmo

Ditto

Fala comigo, porque eu sinto minha bochecha formigar

E não tenho vontade de enfiar as unhas nas palmas das mãos

Não imagino todo tipo de acidente que poderia acontecer

E até tenho vontade de entender a diferença entre magenta e rosa

Fala comigo, porque eu sou que nem aquele pokémon

Que se transforma em você para te derrotar

Quem nunca sonhou em ser o herói de si mesmo?